Li agora no Pedaleiro uma notícia muito interessante.

Os fabricantes de EPO (que não devem ser muitos) estão colocando na substância uma molécula que poderá posteriormente ser detectada. Claro que uma pessoa que REALMENTE necessite da substância não dá a mínima bola pra isso, mas um sujeito como Ricardo Língua de Cobra Riccò leva uma rasteira com essa técnica.

Espero que realmente todos os fabricantes façam isso (e que não apareça um laboratório chinês ou russo produzindo uma “EPO genérica”).

O post completo do Pedaleiro está aqui (aprendam, é assim que se faz).