Paris-Tours 2009 – Resultados

12/outubro/2009

Dobradinha não-sprinter (2008 e 2009). Parabéns pro Gilbert, dá prazer ver esse sujeito correr.

1      Philippe Gilbert (Bel) Silence-Lotto      5:12:23
2     Tom Boonen (Bel) Quick Step
3     Borut Bozic (Slo) Vacansoleil Pro Cycling Team     0:00:02
4     Filippo Pozzato (Ita) Team Katusha     0:00:16
5     Oscar Freire (Spa) Rabobank
6     Francesco Gavazzi (Ita) Lampre – N.G.C.
7     Gerben Löwik (Ned) Vacansoleil Pro Cycling Team
8     Pablo Lastras (Spa) Caisse d’Epargne
9     Martin Reimer (Ger) Cervelo Test Team
10     Yauheni Hutarovich (Blr) Française Des Jeux

Fico impressionado como alguns corredores se adaptam bem a alguma prova (ou adotam elas).

Impressões da fuga vencedora:

  1. Bozic foi o mais “generoso” mas o menos esperto. Puxar esses dois não é sinônimo de inteligência.
  2. Boonen errou a roda. Quando Gilberto saltou, deveria ter ido logo e não ficado com Bozic que praticamente parou.
  3. Gilbert foi esperto e mereceu a vitória mesmo sem ser o mais rápido no sprint. Mais 50 metros e Boonen levava.
Anúncios

Morre Frank Vandenbroucke

12/outubro/2009

O ciclista belga foi encontrado morto hoje no Senegal devido a uma embolia pulmonar, segundo o site belga RTFEB.

O corredor apareceu para o pelotão no final dos anos 90, mas teve inúmeros problemas com drogas, problemas conjugais e outros mais, chegando até a tentar o suicídio. Vandenbroucke admitiu ter tomado hormônio de crescimento, EPO, morfina, insulina, esteróides e anfetaminas. Teve problemas com cocaína, chegando a ser preso algumas vezes e também com álcool, sendo flagrado dirigindo bêbado em várias ocasiões.

Ganhou na sua carreira provas importantes como Paris-Bruxelas 1995, Gent-Wevelgem 1998 e Paris-Nice 1998, Liège-Bastogne-Liège 1999, Omloop Het Volk 1999 e duas etapas da Vuelta a España, dentre outras.

No ano de 2004 ele tentou o suicídio. Foi encontrado a tempo de ser salvo por sua mãe.

Em 2006 foi flagrado participando de uma corrida amadora na Itália, com uma licença em nome de “Francesco del Ponte” e cuja foto na carteirinha era de Tom Boonen.

É a prova (mais uma) de que doping e drogas andam lado a lado e uma linha tênue as separa. Outra história parecida com a de Marco Pantani.

vdb

Em tempo: La carniceria de Vandenbrouck em Navalmoral.

Gasolina aditivada, chip adulterado, taxa de compressão aumentada. Por volta de 4’50” o locutor diz: estamos subindo a 40 por hora!