retirada

5 corredores de destaque vão para o seu provável último ano no pelotão profissional:

Gilberto Simoni
Aos 38 anos de idade, Gilberto Simoni parece estar há alguns anos no último ano de sua carreira. Um herói em seu país Gibo tem dois Giro d’Italia e vitórias em etapas de todas as grandes. Teve uma bela carreira marcada por controvérsias e triunfos. Bem maduro e mais tranquilo, Simoni deve correr mais esse ano e pendurar a bicicleta.

George Hincapie
Aos 36 anos ele ainda está muito forte, mas o tempo não para e o fim está próximo para Big George. Admirado por seus companheiros é um ídolo nos EUA. Ao longo dos anos passou de gregário para um corredor forte e vai tentar ganhar a Paris-Roubaix correndo pela BMC. O destino de Hincapie em 2011 dependerá de seus resultados nas clássicas do ano que vem. Vitórias e glória farão com que ele permaneça. Do contrário é provável que o melhor ciclista americano em provas de um dia também pendure a bicicleta.

Jens Voigt
Ele construiu sua carreira ao seguir ao longo dos anos como um gregário fiel e lançando ataques impiedosos. Parece ter uma capacidade de sofrer com poucos e por isso é admirado pelos colegas e fãs. Durante sua carreira de 13 anos acumulou vitórias no Giro e no Tour, além de acumular três vitórias no Critérium International, além da classificação por pontos, montanhas ou contrarrelógio em diversas provas. Agora, aos 38 anos, parece estar prestes a abandonar o esporte, mas não antes de mais um ano andando na frente do pelotão ajudando seus colegas da Saxo Bank.

Jason McCartney
Aos 36 anos ele também está chegando ao final da sua carreira. Domestique na Saxo Bank, com a exceção da classificação KOM do Tour of California ele teve uma temporada muito tranquila. Mesmo com o renascimento de equipes norte-americanos, parece que ele vai andar apenas mais um ano dando suporte aos companheiros.

Robbie McEwen
O Pocket Rocket com 37 anos está apresentando um pouco de ferrugem nas suas pernas, mas um ano mais parece ser possível para o australiano rápido. Pioneiro no seu país na categoria sprinter, ganhou etapas em todas as grandes, ganhou a classificação de pontos em três oportunidades no Tour e acumulou inúmeras vitórias ao longo dos seus 14 anos como profissional. Terá mais um ano na Katusha, para esquecer um ano ruim em 2009 e pensar no Mundial na sua terra natal.