O futuro (incerto) de Alberto Contador

10/novembro/2009

O agente, irmão e mala de Alberto Contador, Fran Contador, negou hoje que a Astana tenha feito uma proposta milionária (8 milhões de euros anuais) para o seu irmão.

Segundo ele, a proposta é para 2010 somente e não chega sequer a metade desse valor (o que convenhamos, é um bom salário também).

Alguém está mentindo: os cazacos ou o irmão-com-medo-do-leão-do-imposto-de-renda.

Vamos aguardar.

Anúncios

Tour de France – Médias horárias e estatísticas

10/novembro/2009

Fiz um pequeno levantamento a respeito das médias horárias em cada uma das edições (96) do Tour de France.

As médias de cada uma das edições, bem como a variação com relação ao ano anterior podem ser visualizadas abrindo o PDF abaixo.

Médias Horárias Tour de France

Algumas considerações com relação aos anos que estão em vermelho:

  1. 1906 – Maior redução absoluta (3,018Km/h) e percentual (10,98%) da média horária: a estréia dos Pirineus justifica a redução.
  2. 1919 – Menor média horária (24,056Km/h): facilmente explicada pela 1a. Guerra Mundial. As equipes não existiam, os corredores estavam ocupados matando uns aos outros, não existiam bicicletas e as estradas deveriam estar em péssimas condições.
  3. 1928 – Maior crescimento absoluto (4,173Km/h) e percentual (17,22%) da média horária: nessa edição além do domínio absoluto de Nicolas Frantz (relatado aqui), era permitido a substituição de ciclistas no início do estágio 12. Considerando que ele  perdeu 28 minutos quando quebrou sua bicicleta e pedalou até o final do estágio usando um modelo feminino, há de se pensar que a média poderia ser ainda maior.
  4. 1934 – Quebrada a barreira dos 30Km/h: a introdução do contrarrelógio individual pode ser a razão da quebra.
  5. 1956 – Quebrada a barreira dos 35Km/h: não encontrei nenhuma razão significativa para isso.
  6. 1996 – Quebrada a barreira dos 40Km/h: vencida por Bjarne Rijs foi a edição de “estréia” da EPO onde mais da metade do time do campeão confessou posteriormente ter usado o produto, inclusive o próprio vencedor.
  7. 1998 – Maior crescimento percentual (6,58%) e maior média (41,765Km/h): chamado de o Tour de Dopage em virtude do escândalo Festina. Isso explica tudo.
  8. Levou-se 53 anos para aumentar os primeiros 10Km/h de média (1903 a 25,678 até 1956 com 36,268Km/h).
  9. Nos 53 anos seguintes (de 1956 a 2009) a média aumentou apenas 4,04Km/h (atingindo um pico de 5,49Km/h em 1996).
  10. Em 55% das edições houve aumento da média e em 45% houve redução.
  11. Da primeira edição (1903) à última (2009) tivemos um acréscimo de 14,632Km/h na média horária. Isso significa que, se Maurice Garin corresse contra Alberto Contador chegaria aproximadamente 48 horas e 56 minutos após o espanhol (se não fosse recolhido pelo caminhão vassoura primeiro).
  12. Existem outras variáveis não consideradas: número de montanhas, desnível acumulado, montagem das etapas, clima, adversários, etc. É uma análise puramente numérica.

Médias horárias por década

grafico_media_tour

Nesse gráfico admito que há uma pequena distorção: o cálculo da média da década foi feita através do método mais simples: somar e dividir pelo número de anos. O correto, eu sei, seria somar as distâncias e tempos, e desse há uma diferença na segunda casa após vírgula. Considerem como “curiosidade” e não como fato científico.


Quem é o ciclista? (60)

10/novembro/2009

Essa é a última pergunta da temporada. Amanhã sai o resultado final.

3a. Categoria – 4 pontos

quem60

RESPOSTA: Mr. 60, Bjarne Rijs.

4 pontos pro Juca.

Amanhã divulgo os resultados finais.


Pesquisas

10/novembro/2009

Estou me divertindo essa semana. Vejam os termos de pesquisa de ontem.

pesquisa


3o. Desafio Márcio May de Ciclismo

10/novembro/2009

desafio

Não preciso falar muito a respeito. A única coisa que me chateia é que não vou poder ir 😦

http://www.marciomay.com.br/desafio/2009/

Para quem vai, é a chance de poder pedalar ao lado (ou na frente) de figuras como Soelito Gohr e Murilo Fischer (claro, só vai depender das pernas).

E, caso algum leitor do blog (Anderson!) for, por favor envie fotos e um relato para ser publicado aqui (a intimação vale para os demais também).


Uniformes bonitões (8)

10/novembro/2009

Laurent Brochard, Team Castorama, 1994.

castorama

Pior que o “macaquinho” é o style do cabelo….

Esse eu quero ver quem vai ter coragem de dizer que tem e usa 🙂