Vuelta a España – Médias horárias e estatísticas

Continuando no estudo das médias horárias. É a vez da mais “fraquinha” das três grandes, a que tem menos personalidade (muda a data, muda a cor das camisas) e a que tem a participação menos expressiva no quesito qualidade global dos corredores.

As médias de cada uma das edições, bem como a variação com relação ao ano anterior podem ser visualizadas abrindo o PDF abaixo.

Médias Horárias Vuelta a España

Algumas considerações com relação aos anos que estão em vermelho:

  1. 1941 – A maior distância: 4.406Km divididos em 22 etapas, uma média de 200,2Km por dia.
  2. 1948 – A maior redução percentual (12,48%) e absoluta (3,669Km) da média horária: eram anos do pós-guerra e isso pode ter influenciado de alguma maneira.
  3. 1955 – Maior crescimento percentual (16,08%) e absoluto (4,681Km) da média horária e quebrada a barreira dos 30Km/h: esses números são com relação a edição anterior que ocorreu em 1950. Nesse lapso de tempo ocorreram muitas coisas….. o vencedor foi o francês nascido italiano Jean Dotto que posteriormente declarou que fazia uso de anfetaminas, o que permitia vencer e “não era muito perigoso”.
  4. 1957 – Quebrada a barreira dos 35Km/h: isso aconteceu em 1957 no Giro e em 1956 no Tour. Vale como curiosidade histórica, a evolução aconteceu praticamente no mesmo instante.
  5. 1963 – O menor tempo de prova: 64 horas, 46 minutos e 20 segundos numa edição com pouca distância. Foram 2.442Km divididos em apenas 15 estágios (média de 162,8Km por dia).
  6. 1972 – A prova mais curta: 2.079Km em 17 estágios (122,30Km por dia).
  7. 1997 – Quebrada a barreira dos 40Km/h com “Cachorro Louco” Zülle. Ele corria pela ONCE de Manolo e um ano após estava na Festina no grande escândalo, quando admitiu tomar EPO e tinha o sangue mais grosso do que iogurte. Tirem suas conclusões.
  8. 2000 – A maior média horária da prova e das três grandes: 42,531Km/h com Roberto Heras que corria pela Kelme de Jesus Manzano que anos depois revelou as práticas ilícitas da equipe.
  9. A média de quilometragem da prova é de 3.386Km (o Giro tem a média de 3.653Km).
  10. A média de quilometragem dos últimos 20 anos é de 3.359Km, uma redução de 8,0% com relação à média global.
  11. A média de quilometragem dos últimos 10 anos é de 3.097Km, uma redução de 15,2 com relação à média global e de 7,8% com relação à média dos últimos 20 anos. Nesse ritmo, em aproximadamente 850 anos não teremos mais a prova.
  12. Tem a deusa das podium girls (não tem nada de estatística nisso, eu sei, é só pra matar a saudade).

Médias horárias por década

 grafico_media_vuelta

Uma resposta para Vuelta a España – Médias horárias e estatísticas

  1. jucaxc disse:

    1997 – Quebrada a barreira dos 40Km/h …

    Manolo + Festina + EPO …. hummmmmm se ninguém descobre os caras fariam 45 Km/h de média nos próximos anos !