Campeonato Tocantinense de Ciclismo 2009

01/dezembro/2009

O Vander mandou o material abaixo com um resumo do campeonato desse ano. Obrigado pela contribuição!

A 1º e 2º etapas aconteceram em Gurupi no dia 14/11:

Estrada – 90 km pela manhã.
 
Nos primeiros 10 km o ciclista  DOMINGOS FILHO atacou e abriu alguns metros. Um grupo liderado pelos ciclistas: NELMAN E AILTON (cupim) ficou controlando o escapado. O atleta MARCOS teve um problema e sofreu uma queda, mas como ele estava em um pelotão de uns 7 que estava entre o FILHO (escapado) e o pelotão com uma galera maior, ele foi no vácuo da moto até o pelotão de origem (conforme o regulamento, o atleta pode retornar ao pelotão de origem no vácuo de algum veiculo da organização).

O FILHO continuou escapado, e a galera desorganizou.. não conseguiu mais controlá-lo.. então ele venceu.
 
Na volta, o atleta MARCOS teve vários outros problemas com a bike, e não terminou a prova.
 
Faltando alguns km pro final o VALTEIR (Mussarela) atacou e ficou em 2º.

O pelotão chegou e no sprint deu:
3º SÉRGIO (Torinha)
4º YURE
5º WILLIAM
6º JOÃO PAULO
7º DARCISIO (Cabeça)
8º CUPIM
 
A tarde rolou um circuito de 70 min + 2 voltas no Sol Nascente.
 
Quedas.. problemas mecânicos.. e só 6 terminaram a etapa.

1º FILHO (escapado com o WILIAM)
2º WILLIAM
3º TORINHA (no sprint)
4º MONTOYA
5º EDILSON (Basão)
6º MUSSARELA.
 
O Filho ganhou 700 reais,
O Torinha 200 reais
E o Wiliam 100
Na verdade foi 1000 reais para a equipe, pois correram juntos.

Eu estava ajudando na organização destas duas primeiras etapas, e não estava treinado para competir, por isso não participei.
 
A 3º etapa e a 4º etapas aconteceram no domingo dia 22/11.
 
Pela manhã um Contra Relogio Individual de 4 km, em Palmas.
Tivemos a participação do Presidente da Federação Paraense de Ciclismo – Edilson Kramer – que também é o atual campão brasileiro da categoria Master “A” por pontos. Ele ganhou a prova com 51.61 km/h de média, mas a sua participação era especial, portanto, não valia para o campeonato.

O resultado foi o seguinte:

1 Edilson Rodrigues de Souza PA  00:04:39 51,61
2 Vander de Melo Praxedes (eu) 00:04:41 51,25
3 Willians Bezerra  de Andrade 00:04:46 50,35
4 Lucas Sena Regis Alencar  00:04:54 48,98
5 Edilson Rodrigues de Souza TO 00:04:54 48,98
6 Valteir Lima Gomes (Mussarela) 00:04:58 48,32
7 Francisco Miguel (Junim)  00:05:00 48,00
8 Domingos Filho Ferreira Silva 00:05:00 48,00
9 Joao Paulo 1   elite 00:05:01 47,84
10 Sergio Nazeozeno da Silva (Torinha) 00:05:04 47,37

A 4ª etapa ocorreu no domingo a tarde, num circuito no centro de Palmas. A nossa equipe fez um trabalho muito bem feito e conseguimos levar, também, essa etapa.
 
1 Vander de Melo Praxedes (eu) 12
2 Lucas Senna 9
3 Willians  7
4 Darcisio (Cabeça) 5
5 Francisco Miguel (Junim) 4
6 João Paulo 3
7 Edilson Rodrigues (Basão) 2
8 Sérgio Silva (Torinha) 1
 
Com essas duas vitórias, eu assumi a 3º colocação do campeonato por pontos atrás do Domingos Filho e Willians.
 
A 5 etapa ocorreu no ultimo sábado (28/11) na estrada entre Porto Nacional e Palmas com 60Km. Nos 10 ultimos km, meu pneu furou, e logo depois de trocá-lo subi na bike e minha corrente estava estourada. Não sei como aconteceu, mas foi falta de sorte demais. Resumindo.. não terminei a etapa.
 
O resultado foi o seguinte:
 
1º Adilson
2º Fiapo
3º Darcisio (Cabeça)
4º Antonio Roberto
5º Nelman Alves
6º Sérgio Silva (Torinha)
7º Lucas Senna
8º Yure
 
A ultima etapa foi a mais pesada e ocorreu ontem (29/11), 150 km, um percurso muito pesado com uma subida de 5 km muito dura, além de várias outras de cerca de 1 km cada.

1º Edilson Rodrigues (Basão) – escapado 3 minutos dos outros 2 atletas
2º Valteir Lima (Mussarela) – junto com o Domingos Filho 4 minutos a frente do Yure
3º Domingos Filho
4º Yure Batista – 1 minuto
5º Vander de Melo Praxedes – no sprint com outros 4
6º Sérgio Silva (Torinha)
7º Antonio Roberto
8º Ailton (Cupim)
 
Resutado FINAL do campeonato:
 
1º DOMINGOS FILHO – 34 PONTOS
2º WILLIANS – 29 PONTOS
3º VANDER DE MELO PRAXEDES – 28 PONTOS (tendo participado só de 4 etapas)
4º VALTEIR LIMA – 25 PONTOS
5º EDILSON RODRIGUES – 23 PONTOS
 
CAMPEÃO ESTADUAL DE CONTRA RELÓGIO
VANDER DE MELO PRAXEDES
 
CAMPEÃO ESTADUAL DE RESISTÊNCIA
EDILSON RODRIGUES
 
CAMPEÃO ESTADUAL DE MONTANHA
AILTON R. DE SOUSA

Anúncios

A Lenda de Paul Deman

01/dezembro/2009

O primeiro vencedor da Ronde van Vlaanderen, Paul Deman, esteve a ponto de ser fuzilado pelos alemães durante a I Guerra Mundial acusado de espionagem. Salvou-se quando, a poucos dias da execução, declarou-se o armistício pondo fim a guerra.

paul deman


Tour de France 1930

01/dezembro/2009

Tentando acabar com a supremacia das equipes das fábricas de bicicletas, o “dono” do tour, Henri Desgrange teve a idéia de realizar a competição no ano de 1930 com seleções nacionais, tal qual é o Campeonato Mundial. Outros dizem que essa mudança foi por causa da escassez de vitórias francesas nos anos anteriores (a última vitória fora em 1923 com Henri Pélissier).

O jornal L’Auto anunciava então que o Tour havia mudado de fórmula: seriam cinco equipes de oito corredores (França, Itália, Bélgica, Alemanha e Espanha) e mais sessenta “touristes-routiers” (avulsos), que seriam selecionados pela organização.

Claro que as equipes nacionais seriam compostas pela nata do ciclismo mundial. Mas também é certo que alguns bons corredores não teriam lugar nas equipes, devendo colocar-se na categoria “touristes-routiers”, o que muitos acabaram por não aceitar.

Além disso, para evitar cair no mesmo problema da guerra das bicicletas, a direção do Tour se encarregou de fornecer a mesma bicicleta para todos os corredores tendo a certeza da igualdade de condições (na idéia de Desgrange). Como consequência, muitos corredores não receberam o salário das suas equipes durante o mês de julho.

Da mesma forma, a direção do Tour escolheu os diretores esportivos das seleções. Toda a manutenção, alojamento para os ciclistas, diretores, mecânicos e massagistas ficou a encargo do Tour.

Solução de um lado, problema de outro. Era necessário tirar dinheiro de algum lugar para custear todas essas despesas. Assim, organizou-se pela primeira vez um esboço do que seria conhecido mais tarde como “caravana publicitária”: antes da prova realizava-se um desfile de alguns produtos dos patrocinadores, um êxito enorme. Junto a essa fórmula, outro modo de angariar fundos foi cobrar das cidades por onde a prova passaria.

Com relação à formula da prova: ocorreu tudo dentro do previsto e os franceses ganharam com André Leducq.

tour 1930