Gerações de velódromos

1a. Geração

Não existiam marcações na pista e não havia área de escape.

2a. Geração

Foi criada a área de escape, mas a transição entre a pista e ela é feita de maneira brusca, com um ângulo muito agressivo. A única marcação da pista era a linha preta (ou “corda”), com o objetivo de sinalizar para os ciclistas o quão próximos da aresta (faixa azul ou “côte d’azur”) estavam. Nessa época ficou famosa a expressão “dead’s man curve” que eu português claro seria a “curva da morte”: saia da pista no meio dela e você já era.

Durante muitos anos essa construção ficou em moda. Atualmente é comum em pistas de compensado, ao exemplo d0 Boulder Indoor Cycling que eu mostrei anteriormente.

Comparem agora um velódromo de 1a. geração com um de 2a. geração:

Com mais detalhes o ângulo. Reparem no pneu da bicicleta que estaria na “Côte d’Azur” e o canto vivo com o início da pista.

3a. e 4a. Gerações

A construção não apresenta mais a aresta viva, cálculos foram feitos para uma transição suave entre a faixa azul e o começo da pista. Nos velódromos mais modernos, cálculos de geometria avançada permitiram o uso de inclinações variáveis na entrada, meio e saída de curva e utiliza-se também técnicas diferenciadas para corte das peças, madeira selecionada, tratada e alisada.

Comparem a diferença entre um velódromo de 2a. e de 3a. gerações:

Fonte: http://www.mybike.com.br/LinkedDocuments/pista_35_Marcio_2.html

Formato dos velódromos

Engana-se quem pensa que todos os velódromos são iguais, mesmo que atendam às dimensões mínimas exigidas pela UCI. Existem velódromos mais “gordos” e mais “achatados”. Um ou outro tipo favorecem ou prejudicam determinados tipos de ciclistas em competições específicas. Leiam um belo artigo nesse link (em português).

Finalmente para quem quer se aventurar nesse mundo desconhecido, algumas regras básicas de segurança e conduta divulgadas pela Federação do Rio de Janeiro e publicadas no site MyBike.

3 respostas para Gerações de velódromos

  1. Antonio Dirceu de Oliveira Ribeiro disse:

    Desta vez vcs se superaram, realmente uma reportágem extremamente técnica e muito esclarecedora, agora consegui entender muita coisa que me instigava em relação a velodromos.

  2. Edvaldo disse:

    Zaka, parabéns! Esse tipo de post é o que pode ser usado pra mostrar que esse é o melhor blog de ciclismo do Brasil e um dos melhores do mundo. Continue o bom trabalho!

  3. Will Barbosa Bike e etc. disse:

    A R R E B E N T O U ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! !