Paris-Roubaix, 1952

Essa edição do Inferno do Norte é considerada como uma das maiores corridas de bicicleta de todos os tempos. Nesse dia encontraram-se para a batalha Il Campionissimo Fausto Coppi e Rik 1, o Van Steenbergen, o especialista em clássicas.

Numa manhã ensolarada da primavera européia Van Steenbergen precisava da vitória para apagar a má imagem que tinha deixado uma semana antes na Ronde. Coppi, um escalador, levava consigo a esperança dos italianos.

A prova foi agitada desde o princípio em St. Denis (subúrbio de Paris), com vários corredores formando inúmeros grupos e constantes ataques. Aos poucos os favoritos foram caçando os aventureiros e, restando 80Km para o final o pelotão estava compacto.

Após um breve momento de paz, as hostilidades recomeçaram. Coppi conseguiu destacar-se num pequeno grupo com mais quatro corredores. Van Steenbergen, mal posicionado acabou sobrando no pelotão. Perdendo tempo e sentindo a pressão ele começou uma caçada impossível a 50 segundos de Coppi. Quanto pior o trecho de pavés, mais rápido ele ia.

Enquanto isso, Coppi sentindo a aproximação do adversário aumentava o ritmo. Aos poucos seu grupo estava restrito a três corredores: ele, Ferdi Kubler e Jacques Dupont. Van Steenbergen usou-os como ponte (Dupont furou um pneu e Kubler cansou) para alcançar Coppi quando restavam 20Km para o final.

Coppi sabia que o sprint da Van Steenbergen era mais forte e sua única chance de vitória seria chegar isolado ao velódromo de Roubaix. Assim, começou a atacar constantemente e sem sucesso o belga. A última oportunidade foi na colina de Hem onde Coppi atacou novamente e Van Steenbergen suportou (anos mais tarde confessaria: mais um ataque de Coppi e ele teria jogado a toalha).

Um resignado Coppi entrou no velódromo com Van Steenbergen na sua roda, preparando o ataque final na última curva, como previsto.

Um duelo de titãs, a maior de todas as batalhas na Rainha das Clássicas.

8 respostas para Paris-Roubaix, 1952

  1. Gustavo (Campinas - SP) disse:

    São histórias como essa que fazem do ciclismo um esporte tão apaixonante.
    Otimo post Zaka.

  2. andre disse:

    muito boa historia Zaka. Parabens

  3. José Carlos SBC/SP disse:

    Bela história Zaka.
    Tempos que os tops atacavam um ao outro……

  4. Antonio Carlos Alves disse:

    Muito boa essa matéria…precisamos resgatar a história.

    Rik Van Steenbergen nascido em 9.09.1924 era 5 anos mais novo que o Coppi uma diferença não muito grande. O problema é que o belga Steenbergen era um dos melhores sprinters da época.

    Com cinco anos a mais que o Steenbergen um outro grande sprinter André Darrigade nascido na França em 24.04.1929 e outra fera dos sprinter o também francês Jean Stablinsky nascido em 21.05.1932.

    Os melhores sprinters da época.

    Todos esses caras merecem uma reportagem grandes campeões do passado.

  5. Antonio Carlos Alves disse:

    Zaka só vc para contar a história do ciclismo.

  6. Conan disse:

    Muito bom, Zaka. É por histórias como esta que eu visito a tua página. E com isto tenho “convencido” alguns amigos a olharem de maneira diferente para o mundo das gingas de corrida. Grato por isso e que continues o bom trabalho.

  7. Zeca Blak disse:

    Tem um documentário sobre Coppi (em inglês) no Cycling Torrents… segue o link: http://cyclingtorrents.nl/details.php?id=474
    Várias histórias do maior de todos os tempos. A meu ver só não foi mais vencedor do que Merckx por causa da Segunda Grande Guerra.

  8. Gabriel Sousa disse:

    muito boa historia Zaka. Parabens (2)