Vuelta a España – 75 anos

Hoje a Vuelta completa 75 anos.

Em 29 de abril de 1935, uma multidão observa os 50 ciclistas que iniciam a primeira Vuelta Ciclista a España, alinhados defronte ao Ministerio do Fomento (Agricultura). A polícia cuida para que os ciclistas não sejam molestados momentos antes de iniciar a aventura: 3.425 quilômetros em 14 dias (com 3 de descanso).

A participação estrangeira não era muito importante pois apenas 3 dias depois de encerrada essa prova iniciava outro Giro d’Italia. Mesmo assim, Gustave Deloor, um belga levou o primeiro maillot (laranja) da história.

Não parece uma cena de emboscada?

Anúncios

9 Responses to Vuelta a España – 75 anos

  1. Augusto disse:

    Eu diria emboscada clássica…

  2. vander disse:

    tipo aquelas emboscadas de faroeste.. com direito a indio e tudo..
    rs

  3. Renato disse:

    [mode provocação on] É do tempo que o ciclismo de verdade era feito em estradas de terra.. [mode provocação off]

  4. Fernando Blanco disse:

    A Vuelta é, por vários motivos, a “prima pobre” dos Grand Tours, mas ao longo dos últimos 15 anos vem sendo a mais disputada delas. Acho que tem um charme todo especial, até por ser menor, menos midiática, ter menos estrelas egocentradas, etc.
    Viva La Vuelta!

    • Zaka disse:

      Pessoalmente eu vejo que a Vuelta sofre de uma crise de identidade. Não sabem a cor da camisa dos líderes e não se decidem se ficam em setembro….

  5. Facchini disse:

    Só tenho a concordar, e por esse motivo inverso que das grandes prefiro o Giro.

  6. Antonio Carlos Alves disse:

    Bonito Zaka

    O lugar parece mesmo a emboscada dos filmes Far-West dos indios no desfiladeiro.

    Realmente a Vuelta sofre de uma crise de identidade como vc afirma Zaka.

    Mas e o Giro? se para o ano sair mesmo dos Estados Unidos vai acabar com aquela essência chamada passione.

  7. Fernando Blanco disse:

    Da Holanda, as três?!!?
    Acho que isto nunca aconteceu (pelo menos nos últimos 40 anos).
    Além de muita grana, porque sai muito caro para conseguir isso, devem estar investindo pesado para resgatar o ciclismo holandês, que vive numa sêca braba…