O motor escondido

O Juca alertou sobre essa reportagem do Cyclingnews.

Basicamente o que está escrito lá é que alguns ciclistas ou técnicos estão suspeitando de alguns colegas e de seu desempenho superior. Ao contrário do que se pensa num primeiro momento, não se trataria de gasolina aditivada, mas de um motor na bicicleta.

Por mais absurda que seja a idéia, esse mecanismo já existe (http://www.gruberassist.com) e, num primeiro olhar me pareceu bem interessante e inteligente (embora vá contra a minha idéia de “bicicleta”), mas enfim… existe. E se existe, alguém compra e usa.

A UCI não confirma que está buscando meios de detectar esse tipo de equipamento, mas concorda que há rumores na imprensa e entre os ciclistas (aqui Anthony Roux fala em Cancellara e aqui o site Cyclesmag menciona que receberam denúncias de um “ruído” estranho na sua bicicleta, ambos franceses, mencione-se).

No caso desse sistema já existente, não vejo como isso poderia ser usado em provas de alto nível devido a alguns “problemas técnicos” bem óbvios:

1. Onde vai a bateria? A versão comercial utiliza aquelas famigeradas e horrorosas bolsas de selim. Nunca vi isso numa corrida. O sujeito que usar essas coisas horríveis na bicicleta seria, no mínimo, alvo de chacota dos seus colegas e suspeita dos fiscais (Ah “seu” fiscal, tô levando câmara de ar, bomba de CO2 e chaves).

2. As bicicletas geralmente são fiscalizadas nas provas. Não seria estranho um equipamento todo top com mais de 9Kg? (Ah “seu” fiscal, enchi os tubos de areia pra bike ficar mais pesada e treinar melhor).

3. O ruído de um motor elétrico não é algo que possa se ignorar e mesmo com o público em grande parte do trajeto, em algum momento os ciclistas ficam isolados (Ah “seu” fiscal, é o barulho da minha relação sendo destruída).

Vou arquivar esse post em humor até prova em contrário.

25 respostas para O motor escondido

  1. Gabriel Sousa disse:

    Com isso eu acho que já vi tudo.

  2. Will Barbosa Bike e etc. disse:

    rs….
    concordo contigo chefe
    tbm classifico-o em HUMOR
    abrax
    Fica com Deus

  3. Zeca Blak disse:

    Então a bike do Cancellara foi desenvolvida no laboratório da polícia secreta inglesa… James Cancellara Bond! Ahahaha

  4. vander disse:

    Literalmente, os perdedores acham que quando perderam pro Cancellara, perderam para uma moto??(por que bicicleta com motor, pra mim é moto)

    Ah..fala sério!!!
    Já não basta ficarem dizendo que ele pega vácuo de moto(só ele faz isso??)

    Mas, se alguém estivesse usando um treco desses ai no meio do pelotão, acho que já teria sido percebido..

  5. Anderson disse:

    Tem cada uma. Po, prefiro usar o motor de minhas proprias pernas.
    1- Uso bolsa de selim, de vez em quando, inclusive fui motivado a adquirir uma para transportar as ferramentas e nao pesar no bolso da camisa nos Audax de que participei.
    2- Vao ter trabalho com isso tambem agora, motor no bike, só o que faltava, alem do doping.

    • Zaka disse:

      AUDAX: a única circunstância em que é permitido o uso de bolsa de selim e bomba de ar presa no quadro.

      Claro, na minha concepção.

  6. Samuel Vaz disse:

    Hehehehehe !
    E acho que o Cancellara tem um motor é nas pernas !
    Ele é um robo !

  7. Facchini disse:

    Ah, pegadinha né?

  8. Pedro (Barcellos Sports) disse:

    Como vc disse.. Se existe, alguém compra e usa.. Assim como existem engenheiros loucos por dinheiro trabalhando 24h por dia pra desenvolver algo mais absurdo…

    Eu não duvido.. aliás.. num coloco a minha mão no fogo por nenhum cilista nesse pelotão…

    e tá explicado o apelido.. “allez motollaraaa”…

  9. Juca disse:

    Cancellara tem um motor de Porsche com 600cv escondido dentro do tubo do selim , desenvolvido pelo Dr.Q !

  10. Juca disse:

    Parecido com Kers na F1 ?

  11. Bura disse:

    O doping da bike do Cancellara deve ter sido movido a ar, por isso trocou de bike 4x!!! (pois o ar comprimido acabava).Trocar de bike 4x é meio ridiculo, ninguem iria querer perder tempo com isso (1 ou 2 trocas tudo bem pelo desgaste de pneus). E voces podem perceber que sempre tinha gente pra pegar a bike e ir embora nos locais pre combinados… Teve até um cara que pegou a bike e enquanto o outro nao vinha retirar ficou olhando fingindo tentar ver algum problema nela, tava com cara de quem “devia”… Naquele dia, achei muito estranho, nao julgaria isso como piada…

    • Zaka disse:

      Bom, pro trem ser movido a ar comprimido, é necessário primeiramente um reservatório pra ele, certo? Esse reservatório precisa ter uma parede de uma certa espessura para que consiga suportar uma pressão considerável (algum engenheiro por aqui poderia transformar isso em números? Além disso é preciso um sistema de válvulas que permita que a pressão saia aos poucos.
      Não sei. Um equipamento desses me parece um tanto gigantesco demais e teria tão pouco ar… (que duraria alguns segundos apenas).

  12. Alberto Mussatto disse:

    Olha tenho uma furadeira e emparafusadeira que funciona com bateria, tirando toda a carcaça, fica bem pequena e a força que tem o troço báhh, claro que se tiver um desses na bike ele não vai fazer todo o trabalho do pedal, mas com certeza alivia um monte e outra, não é exagero mesmo pq sou da área de materiais, bateria e ruído não é o problema, dá pra coloca ai até pçs de cerâmica que pesa menos que aço, pra um TT vai que vai! Agora o cara q for pego com isso em compt é de tira os ovo fora.

  13. vander disse:

    Sobre espaço…caso seja de ar comprimido.. não há problema algum, na verdade, fica mais fácil.
    (muitos já viram e usaram os reservatórios de Co2 para tirar do prego , após um pneu furado-usado muito pelos ironmans)
    Temos cilindros de fibra de carbono aqui no serviço que pegam 250 BAR.
    Fácil,fácil seria projetar um seat tube ou top tube que serviria de reservatório, e as vãlvulas sob o selim, ou outro lugar…
    Mas.. a pressão é muito grande, seria um risco danado caso um sujeito se envolvesse num acidente com essa bomba.
    Que é possivel, é.
    Que o Cancellara tenha usado isso alguma vez na vida, NÃO.
    Ele só é fora do normal.
    Esse tópico tem que ficar no homor mesmo..
    É possivel, mas ninguém ousaria usar um treco desses não, acredito.

  14. Juca disse:

    Sou cético quanto a essas engenhocas … mas tem uma certa lógica nesse invento e impossivel não é . Vamos esperar .

  15. Juca disse:

    achei no youtube … agora vou ver se compro um rsrsrsrs

  16. Emilio Salum Filho disse:

    SERIO, se for comprovado isso no pelotao e notadamente no Cancellara (duvido!!!)…. eu paro de acompanhar ciclismo e paro de brincar de pedalar…. de verdade

  17. vander disse:

    óiaaaaa
    num é que é!!!?

  18. Zeca Blak disse:

    Rapaaaaaz…
    Depois desse video, só fica a dúvida de como gerar energia sem que os outros percebam. Cilindros de ar comprimido no interior do quadro seria bem razoavel.
    Quem sabe supositórios de ar comprimido, ehe. O Ballan iria adorar!
    Mermão, não confio em mais ninguém mesmo.

  19. Juca disse:

    Ow Zeca , o Ballan e o Bonnen tb !

  20. David_biker disse:

    Depois que vi o video que o Juca catou…
    Se dopping na bike dos caras do protour for assim…
    Um empurrãozinho insignificante, sem graça!
    Creio que Motollara destruiria isso nos primeiros minutos a 1400wts e 140rpm.
    Ou então a UCI meta o massarico pra cima! Bahh

  21. Vinicius Hernandes - Joinville disse:

    Éee Zaca,

    Acho que você pode ir tirando o post da categoria humor!

    Depois desses vídeos, a aceleração é absurda. Na curva do Giro delle Fiandre ele quase se perde até!

    Tá explicado o MOTOralla.

    P.s.: O site do fabricante Gruber inclusive, está fora do ar! Coincidência?!