O primeiro campeão alemão

Adolf Huschke foi um corredor completo dentro de suas possibilidades. Para a época, era considerado um corredor flexível, de elegância felina, mas que também transmitia força e dotado de uma incrível força de vontade.

Teve a possibilidade de dispotar somente duas provas com mais de duas etapas na sua carreira e brilhou em ambas ocasiões: na Große Preis von Deutschland (Volta da Alemanha) de 1922 venceu a Gral, ganhando 3 de 4 etapas.

Mas eram nas provas de um dia que era possível ver Huschke vencendo com mais naturalidade. Nas clássicas de mais de 300Km, como a Nuremberg-Munich-Nuremberg (1922), Berlin-Cottbus-Berlin (1922-1923), Rund und Berlim (1911) chegando com mais de 20 minutos de vantagem ou no campeonato de Zurich de 1923, talvez sua melhor vitória, batendo no sprint o triplo vencedor da prova, o suíço Heiri Suter que no mesmo ano conseguiu o doblete Ronde-Roubaix.

Era também um grande escalador. Numa legendária Rund und Die Hainleite em maio de 1921, disputada entre frio e neve, Adolf foi o vencedor no sprint, sendo que apenas três corredores conseguiram terminar a prova as 20 horas, depois de mais de 13 horas sobre os pedais, onde sequer os carros de apoio conseguiram chegar.

Foi campeão alemão em 1921 e ao longo de sua carreira conseguiu 46 vitórias em clássicas de primeiro nível em apenas 7 anos como profissional. De 1912 a 1913 abandonou o ciclismo para se dedicar a sua profissão original (encanador) e entre 1915 e 1919 esteve no front, quando perdeu seu irmão.

Em 1923 ele era um dos ciclistas alemães mais fortes e o momento alto da temporada era a clássica de fim de verão: Rund und Berlim, uma infernal carreira sobre pedras e um vento constante, acompanhado das fortes e habituais chuvas. Era a prova de maior prestígio na Alemanha da época.

A prova foi vencida por Erich Aberger, sob um incomum sol. Mas o destaque da prova não foi sua vitória, mas sim a tragédia: Adolf perdeu a vida horas depois da prova em consequência de uma queda (seu amigo e companheiro Walter Wenzlaff relatou que ele perdeu o controle de sua bicicleta ao chegar numa ponte e foi violentamente arremessado contra um pilar, sofrendo múltiplas fraturas no crânio). Transportado ao hospital de Oranienburg, faleceu 40 horas depois, em 28 de agosto.

Após sua morte, seus companheiros e rivais, além de muitos fãs angariaram fundos para levantar um monumento digno a sua memória. Construído ao lado da estrada de Sachsenhausen, onde ele deu suas primeiras voltas em bicicleta, foi inaugurado em 31 de agosto de 1924 com a presença de mais de 1.000 ciclistas vindos em peregrinação de várias partes do país.

2 respostas para O primeiro campeão alemão

  1. gustavo disse:

    O melhor estratejista de guerras de todos os tempos, viveu a 2500 anos antes de Cristo, foi um filosofo chamado SUN TZU que logo foi nomeado general, em duas decadas jamais foi derrotado, pois das diveras habilidades que tinha em comandar seu exercito, uma das mais importantes eram a capacidade de MOTIVAÇÃO que gerava em seus homens, de tal forma que ou o exercito inteiro conquistava ou o exercito inteiro morria lutando.
    “Acho que não é preciso falar mais nada”

    Um abraço!

  2. Augusto disse:

    Zaka…..parabéns!!!!

    Estudar ciclismo aqui é muito bom!