O motor de Cancellara (3)

Resumo (e tradução livre) da declaração da equipe a respeito do vídeo e dos boatos.

A equipe Saxo Bank nega qualquer insinuação ou acusação realizada na imprensa a respeito do suposto uso de um motor elétrico na bicicleta de Fabian Cancellara. Saxo Bank e opõe fortemente a qualquer tipo de trapaça e afirma que não há absolutamente nenhuma verdade nesta história. Não há e nem nunca houve um motor em nenhuma bicicleta desta equipe.

No princípio, a equipe Saxo Bank não realiza comentários sobre rumores. Sem dúvida, com a irresponsável distribuição desta história e seu correspondente vídeo, criou-se um mito que deve ser desmentido. Não fomentaremos que esse sucesso aumente e julgamos totalmente fora de propósito e injustificada a plataforma criada para o fabricante do motor. Estamos seguros que a maioria das pessoas que assistiram o vídeo o julgam exatamente pelo que é, uma criativa tentativa de um artista para expressar uma idéia puramente hipotética que não tem razão de ser. Trata-se de um trabalho de ficção, disfarçado de documentário.

Lamentamos que por causa disso alguém possa ver a Saxo Bank de forma negativa e estamos profundamente ofendidos porque se questiona a integridade, o caráter e as aptidões de Fabian, que possui uma capacidade e um talento incríveis e é um grande profissional. Cancellara proporcionou a equipe e aos fãs do ciclismo de todo o mundo incontáveis e memoráveis vitórias. As obtidas no Tour de Flanders e na Paris-Roubaix incorporam todo o belo deste esporte: força, resistências, sofrimento, paixão, drama e trabalho em equipe. Suas vitórias são o resultado da sua dedicação, do trabalho duro e do sacrifício, assim como de sua capacidade única de aproveitar a ocasião quando ela se apresenta. Estamos convencidos de que o público se dá conta do objetivo desta montagem e que respeita Fabian pelo que ele é: um verdadeiro campeão.

Não faremos nenhum comentário mais a esse respeito, já que pensamos que essas insinuações não merecem mais perda de tempo e energia.

10 respostas para O motor de Cancellara (3)

  1. vander disse:

    apoiadissimo.
    Volto a frizar a tentativa do jornalista de aparecer..
    Cuidado com esse cara.
    Ele já c onseguiu destruir a carreira de um fenomeno em subidas…

  2. Juca disse:

    O Vander lembrou bem do impeto do Cassani por denegrir imagens de ciclistas … Rasmussen que o diga!

  3. Renato disse:

    É uma pena, quem se deu bem foi o fabricante do tal motor.

  4. Antonio Dirceu disse:

    Onde encontro um motor deste com metade da potência para ganhar as provas aqui do Brasil? ou um terço da potência para ganhar as provas aqui do Maranhão?

  5. vander disse:

    Ei Antonio..
    não sei se só um terço resolve não..
    fiquei sabendo que o nivel ai na prova em Codó é alto..
    ainda não participei..
    ano que vem, talvez

  6. Conan disse:

    Já o afirmei uma vez, não tenho mandado deste senhor. Mas ele resume bem o que penso em relação a essa do motor na bicicleta e ao “doping” e a tudo o que significa o afundar do ciclismo. Quem se preocupa com o ciclismo? Se aqueles que gostam do ciclismo, os adeptos que aqui comentam, não param para pensar no que está a acontecer ao ciclismo, como esperam que este sobreviva?
    http://veloluso.blogspot.com/2010/06/ano-v-etapa-52.html
    Leiam com atenção, reflictam, pensem novamente e depois emitam opinião.
    (Jactos no capacete? E talvez velas nos pedais, para aproveitar a força do vento… Fina ironia de quem, admitindo não saber andar de bicicleta, percebe mais de ciclismo que esses maduros que se cansam ao fim-de-semana!)

  7. Antonio Dirceu disse:

    Ei Vander na corrida de Codó, ví uns camaradas do sul e sudeste que se surpreederam com o ritmo, realmente, vim do sudeste para o Maranhão a serviço e é impressionante a quantidade de gente com uma técnica e força apurada andando com equipamentos muitos ruins, mas feio é assistir bikes carissimas andando a médias ridiculas não é.
    Para quem quiser fazer um pedal muito legal aqui, a dica é ir para barreirinhas e conhecer os leções Maranhenses e voltar até Morros, 160 Km com vento de cauda e asfalto sem movimento de primeiro mundo, temos um grupo de ciclistas madrugadores aqui em São Luís e fazemos esta pedalada a cada dois meses, alguns já foram e estão inscritos no letape de tour, se quiser posso mandar maiores detalhes e dar apoio logístico a um pequeno grupo. Detalhe, tenho 46 anos e 8 quilos acima do peso, mas andamos sempre a mais de 32 de média.

  8. Zeca Blak disse:

    Antonio,
    Fiquei sabendo que vc pode encomendar a bike já pronta, com pintura da Saxo Bank, Liquigas, Radioshack, Astana ou modelos Vintage, como Molteni ou Bianchi direto com o laboratório do James Bond.
    Nos livros do Ian Flemming vc encontra pistas sobre onde se localiza o tal laboratório. Não vende pela internet.
    Se não encontrar nada, manda email pro Davide Cassani e pede o contato do maluco que emprestou aquela bike da matéria da Rai. Aliás, descobri finalmente como ele faz aqueles programas de subida (grandi salite del ciclismo), conversando, como se nada estivesse acontecendo. Aquela bike sim, tem motor!
    Abs a todos e, lembrem-se: Enquanto há dúvida, há piada!

  9. Zeca Blak disse:

    Desculpem, corrigindo:
    Enquanto HOUVER dúvida, há piada!

  10. Gabriel Sousa disse:

    Já leio o blog do sr. Manuel José Madeira e é quase sempre extremamente coerente e com a opinião muito consistente.