Gere sua própria energia

21/junho/2010

Baseado no post da semana passada, o Fernando Blanco mandou esse link. Abaixo a explicação dele:

É uma empresa de energia da Bélgica, fazendo graça com métodos alternativos de gerar energia que, ao final, geram volatilidade na rede elétrica, estragando produtos domésticos.

Mas fazer isso com Maertens, De Vlaeminck e (Eddy) Planckaert é sensacional. Aqui fazem propaganda com Pelé, Kaká, Robinho…estamos no país errado…rsrss

E os ciclistas usam os “maillots” mais importantes das suas carreiras: o Maertens com o Arco-íris (ganhou 2x), o De Vlaeminck com a de campeão belga (2x) e o Planckaert com o verde do Tour (1x).

Anúncios

A reputação de Cavendish

21/junho/2010

Tradução: Cavendish, o ladino do pelotão.

Ladino: em jogos de RPG significa “esperto, não muito honesto, rápido e astuto em situações em que sempre tenta ganhar” (essa eu tive que procurar).

Ser chamado de “não muito honesto” (ou seria um pouco desonesto?) é uma das piores ofensas que posso imaginar.


Kim Kirchen continua em coma induzida

21/junho/2010

Após sofrer uma parada cardíaca (ou trombose?) no sábado à noite, após disputar a etapa do Tour de Suisse, o luxemburguês permanece em coma induzida, segundo boletim médico.

Claro que a pergunta é: um adulto jovem, saudável, atleta, submetido a muitos exames e testes desde sua adolescência pode ter esse tipo de problema?

Seu cardiologista, Charles Delagardelle, afirmou que sim. Muitas vezes nunca se sabe a origem desse problema.

Até pode ser. Mas muitas teorias já circulam pela Internet e algumas delas um tanto quanto desabonatórias.

A nós só resta torcer pela sua recuperação plena.


O Dia em que a Terra parou

21/junho/2010

20 de Junho de 2010, esse é o dia: Frank Schleck ganha uma prova por etapas de prestígio graças as suas habilidades como…. contrarrelogista!

Entre corredores que foram até a Suíça “apenas” para preparar o Tour e correr sem muito sacrifício e comprometimento, entre uma prova com reduzido número de montanhas (como tem sido nos últimos anos para beneficar Fabian Cancellara), Frank Schleck conseguiu ontem um resultado memorável.

Terminando uma prova contra ele mesmo a apenas 5 segundos de Lance Armstrong e a 22 de Kloden, conseguiu recuperar o tempo perdido para Rigoberto Urán (que acabou me decepcionando, terminando 42′ atrás do Schleck mais velho) e acabar em primeiro na geral.

Frank Schleck é um bom corredor. Diria que mais do que bom, é um sujeito acima da média, mas sempre, assim como o pequeno Schleck, faz feio na prova individual.

Fazia.

Há quem diga que Bobby Julich, ex-companheiro de equipe, tem treinado a técnica e a aerodinâmica dos irmãos para que eles não percam mais o tempo ganho nas montanhas. E cá pra nós: ser ruim no CR é sinônimo do lugar mais baixo do pódio.

Em vista dos resultados obtidos ontem, nota-se que algum tipo de avanço Frank conseguiu. Não vai ser campeão mundial, mas melhorou bastante.


Papel de Parede

21/junho/2010

Dica de decoração para desktop do dia:

Achei aqui.


Uniformes bonitões (21)

21/junho/2010

É de doer. Diminuam o brilho do monitor.