Comentário do dia

Para os que não leram, abaixo o comentário feito pelo Rodrigo Fieira a respeito da etapa de hoje (mais especificamente sobre o fato do Vinokourov ter terminado à frente do seu capitão Contador):

Diretor: – Lestat, espera o Magrelo!!
Lestat: – ok, vou “alcançar” ele…
Diretor: – não, não, espera o guri!!
Lestat: – Já ouvi, to dando tudo, vou desligar essa porcaria pra me concentrar mais, mas já to buscando…

27 respostas para Comentário do dia

  1. Juca disse:

    Kkkk assim que vi a classificação pensei: começou a trairagem!

    Vino é especialista em trairagem e vampiragem!

  2. mika disse:

    Kkkkkkkk felomenal essa!

  3. waldeir disse:

    acho que foi assim
    diretor_- vampiro diminui ai
    vampiro-não to vendo que no pelote da frente alguem ta sangrando…
    diretor – contador esquece ele teve uma recaida….rssss

  4. andre disse:

    muito boa… kkkkkkkkkkkk

  5. Marcelo Tavares disse:

    Exelente, a melhor do dia, exceto o motorlara.

  6. Leitzke disse:

    O pistoleiro não tem sorte mesmo com as equipes. Sempre cercado de traíra

  7. rodrigo fieira disse:

    Opa, quase perdi isso!!!
    Valeu chefe!! É uma honra!!

  8. FAB1000 disse:

    Vcs estão de sacanagem né? Que maldade…

    O Vino arrastou aquele pelote por muitos km antes da linha de chegada, enquanto que o Contador ficou de roda quase o tempo inteiro.

    Certamente, no último km, ele não viu que o espanhol tinha ficado pra trás porque estava a frente trabalhando muito e o Contador só ficou pra trás quando já entraram na área proibida aos carros.

  9. Facchini disse:

    Ei, que o Vino não é dos mais confiaveis pelo fato do dopping etc beleza.

    Mas ele fez algo que possa se dizer que ele é traira no pelotão?

    • vander disse:

      ainda não
      mas acredito q seja uma kestão de tempo
      rs

      • rodrigo fieira disse:

        só não vai aprontar pq ñ tem perna pra superar o Alberto (e outros – vide Giro 2010), se tivesse…
        Todo mundo sabe que ele é o “dono” da equipe.

    • Zaka disse:

      Do pelotão não, só da equipe.

      Ullrich que o diga! Embora muitos digam que aquilo que ele fazia na T-Mobile era estratégia de equipe, na verdade era ataque ao líder (Armstrong) e de sobra ao seu capitão (Ullrich).

      Mas isso não é coisa nova. Já aconteceu com o Cunego x Simoni e Hinault x LeMond. O cara tá ali, ajudando o capitão. Mas se ele vacilar, já eras.

      • Roberto Smera disse:

        Vale lembrar que também aconteceu com Armstrong x Contador no estágio 3 Tour do ano passado, onde o primeiro deixou bem claras suas intenções naquela quebra do pelotão.

      • Will Barbosa Bike e etc. disse:

        garzelli x pantani……….

        • Viley disse:

          no tour do ano passado – contador x kloden (não lembro bem se foi o kloden ou outro da astana nakela etapa de subida q o contador atacou e levou todo mundo, menos o companheiro de equipe dele hsuhsauashua)

  10. Gabriel Sousa disse:

    Não censuro o Vino por se achar melhor e tentar atacar. Só é absurdo é quando ele já está bem longe na classificação não ajudar.

  11. Facchini disse:

    Hmm.. mas achei que o Vino tinha um histórico de trairagem dentro da equipe..

    Pelo jeito é só especulação..

    • Roberto Smera disse:

      Olá, Facchini

      Andei escutando alguns murmúrios nos fóruns que costumo acompanhar que o Vino teria esfaqueado o Alberto pelas costas durante a etapa de ontem, tentando deixá-lo sozinho dentro do último km. Todos tem direito às suas crenças e opiniões, mas isso não é isso que partilho. Vino é simplesmente “o cara”. Houve várias explicações plausíveis do que poderia ter acontecido para resultar no isolamento do Contador do grupo Vino nos 500m finais, e eu não compro a alegação de que o mesmo tenha, de fato, atacado o Alberto.

      Em minha opinião, Vino não é como Armstrong, que para mim pode ser comparado a um agente PsyOps e o único capaz de enfaticamente lançar um ataque contra seu próprio companheiro de equipe, traindo sua lealdade como foi o caso da controvertida situação que ocorria dentro da equipe Astana no tour de 2009.

      Ele foi astuto ao prever a vantagem psicológica que tinha sobre o Contador, roubando-lhe alguns segundos e ao mesmo tempo tentando fazer com que se sentisse abandonado e sozinho, na esperança de sacudir sua confiança ou enfraquecer sua determinação (embora saibamos que Contador é MUITO mais forte do que isso).

      Vino é como o Diabo da Tasmânia – ele simplesmente vai ultrapassando os adversários e continua incessantemente até o final. Seus ataques são muito chamativos e eletrizantes de assistir. Tudo o que ele não pode ser chamado é de ciclista monótono. Quando o ataque é mal calculado, diria que beira a catástrofe – quase um suicidio. Mas muitas vezes tive oportunidade de ver ataques brilhantes, onde ele saiu vitorioso.

      Por isso sustento a opinião de que um ataque calculado contra seu próprio companheiro de equipe – faltando 750m para acabar uma etapa não é seu estilo – e isso só me diz que ele não tinha qualquer intenção de colocar tempo no Contador. E caso ele tivesse atacacado percebendo a dificuldade do Contador para que o mesmo recebesse o mesmo tempo como resultado de uma mecânica ocorrida dentro dos 3 km finais, acho também pura especulação.

      Além disso, a alegação de que o Vino tivesse apunhalado o Contador ignora a quantidade épica de trabalho que ele fez em nome do espanhol para orientá-lo sobre as seções de paralelepípedo quando a etapa literalmente implodiu.

  12. ALEX SANDER disse:

    Quando o Contador ficou na Astana ele já sabia da força do Vino e tb que o mesmo é o DONO da equipe……..o negocio é o Conta pegar a roda do vino……só isso
    nas etapas de montanha mais pra frente é que ele deve atacar…….fica esperto magrelo!!!!!!!!!!!

  13. Roberto Smera disse:

    Acho que muitos estão indo um pouco longe demais no que aconteceu nos 500 metros finais de um único estágio.

    Vino deu tudo de si, pedalando de olhos fechados nos últimos 10 km do estágio, a fim de tentar posicionar o Contador próximo do grupo do Schleck Jr. O Contador perdeu contato no último km, cruzando a linha de chegada com o pneu traseiro furado. Muito fácil perder preciosos segundos com um furo desses, principalmente se o grupo estiver rodando a 40-50 km/h e vc ser obrigado a cobrir o espaço. Se a linha estivesse mais para frente, o prejuízo seria muito maior.

    Ainda, realisticamente, acho muito pequena a possibilidade do Vino ter conhecimento do que ocorreu : O carro da equipe localizava-se atrás do grupo; Contador e Vino encontravam-se nas extremidades opostas do grupo onde estavam; Vino não tem olhos na nuca. A única madeira dele saber do que acontecia seria se o Contador tivesse falado via rádio com o carro da equipe e o Vino escutando.

    Só não sei como isso é possível pedalando em alta velocidade, dentro de um corredor de som ensurdecedor, que é o que acontece dentro do km final de qualquer etapa de um Grand Tour. Nessa altura de um estágio acho difícil alguém estar ligado em algum rádio.

    Não sou nenhum apologista do Vino, porém sugerir que ele estaria tentando se livrar do Contador nos km finais acho que é ir um pouco longe demais.

  14. rodrigo fieira disse:

    Ué, achei que o Alexander estivesse puxando pra fazer com que o Alberto chegasse no mesmo tempo dele após o problema nos últimos 3 km… não era essa a tese de defesa?! Teoria dos 3 Km?!

    Agora falando sério, sinceramente, duvido que não aja comunicação nos últimos quilômetros. Justamente – e quase sempre – os momentos decisivos de uma prova. Mas isso é irrelevante, não vem ao caso.
    Até mesmo porque, eu não acho que o Alexander estivesse atacando o Alberto. Só fiz uma brincadeira, só isso.
    Aliás, eu só entro no Maglia Rosa por dois motivos: me informar e me divertir.

  15. José Carlos SBC/SP disse:

    É quase certeza que o Contador estará em outra equipe no proximo ano, então, se o pistoleito vacilar, o Lestat crava os dentes nele, hehehe

    • Roberto Smera disse:

      Olá José Carlos,

      Acho que não é o que dá a entender alisando essa foto após o estágio. Me parece que a relação entre os dois dentro da equipe vai bem, ao contrário do que vimos no ano passado quando o LIESTRONG tentou passar a perna no garoto mais capacitado dentro da equipe.

      Um abraço