Jean Stablewski, conhecido como Jean Stablinski devido a um erro de impressão, foi um ciclista descendente de imigrantes poloneses que chegaram para trabalhar numa certa mina de carvão ao norte da França. Seu pai morreu num acidente na mina e Jean teve que começar a trabalhar neste mesmo local aos 14 anos de idade.

Nessa época ganhou uma bicicleta ao vencer um concurso de acordeon. Com essa bicicleta passou a ir trabalhar na mina, percorrendo os trajetos de pavés da região.

Passando o tempo, conseguiu tornar-se um profissional do ciclismo, chegando a ser Campeão Mundial, vencer uma Amstel Gold Race  e uma etapa da Vuelta a España, mas nunca a sua amada Paris-Roubaix.

No final dos anos 60, os pavés da Paris-Roubaix estavam ficando escassos e Jean sugeriu aos organizadores que utilizassem o trecho que ele percorria para ir até a mina. Esse trecho nada mais era do que o Bosque de Arenberg e a partir desse momento estaria intimamente ligado à prova e ninguém sequer ousa pensar o contrário.

Stablewski sempre falou do seu trecho preferido “A Paris-Roubaix não se ganha em Aremberg, mas seleciona o grupo de onde sairá o vencedor”.

Jean nunca venceu a prova, mas foi o único que a percorreu como ciclista e mineiro, por cima e por baixo.

Hoje pela manhã um surpreendente Lance Armstrong mencionou no seu Twitter: Stablinski, the only man to mine under Arenberg & race over it.